Design thinking é uma abordagem que já é amplamente utilizada nas empresas pelo mundo afora, permitindo estimular a criatividade e melhorar o desempenho da coletividade de uma equipe. Para alcançar o máximo de sua eficiência, existem diversas ferramentas de design thinking à disposição das organizações.

A sua implementação em uma empresa permite gerar maior inovação e auxiliar a equipe a compreender melhor as necessidades do cliente. Os exercícios oferecidos ajudam os interessados a se colocarem no lugar do outro, gerando empatia e otimizando os resultados.

Neste artigo, explicaremos a importância da utilização desses métodos e apresentaremos 5 das principais ferramentas que podem ser implantadas agora em sua empresa para que ela saia na frente. Portanto, continue conosco!

O que é design thinking?

Antes de tudo, vamos recordar o conceito de design thinking. Trata-se de um conjunto de práticas e processos que visam identificar soluções utilizando a criatividade como força motriz e tendo o ser humano como centro. Sua implementação proporciona soluções ágeis e inovadoras de uma forma mais produtiva.

Podemos dizer que o design thinking é uma forma de abordagem tomada do campo do design e adaptada às empresas e corporações. Essa estratégia estimula o trabalho em grupo e a coletividade, e busca respostas empáticas e criativas para criar soluções que verdadeiramente gerem valor ao cliente.

Qual a importância das ferramentas de design thinking?

Diferente de outros métodos, as ferramentas de design thinking não se baseiam em métricas ou estatísticas, mas, sim, em observação e conversa. As informações são colhidas diretamente com o cliente e analisadas coletivamente por toda a equipe.

Elas nos oferecem recursos preciosos para desenvolver projetos, resolver problemas complexos e buscar soluções criativas. Permitem, ainda, criar possibilidades, reduzir os riscos, administrar as incertezas e, principalmente, promover a inovação.

Percebeu como esses métodos podem ajudar as empresas? É necessário conhecer bem o que cada uma oferece, a fim de identificar qual delas deve ser utilizada em cada caso. Apresentaremos a seguir algumas das ferramentas de design thinking que você poderá implementar em seu negócio e a importância de cada uma delas.

1. Mapas mentais

A utilização de um mapa mental auxilia a organização e a gestão de informações, propiciando uma visão mais clara do processo criativo e, por consequência, ajudam a criar insights mais relevantes. Para usar essa ferramenta, o profissional deve ter como base uma ideia central e, a partir desse princípio, ele pode, com o auxílio de sua equipe, começar a gerar outras sugestões secundárias e terciárias.

O mapa mental sugere o uso de recursos visuais. Por isso, são amplamente utilizadas as cores, setas e símbolos para uma melhor visualização do plano. Essa abordagem assegura que todos os principais elementos estejam conectados com a reunião.

É muito eficiente ter um Mapa Mental bem elaborado durante o processo em equipe para unificar as ideias e garantir que todos estejam partindo do mesmo ponto. Por meio dele, todos os participantes podem ver o que está sendo estruturado e, assim, manter as suas sugestões registradas e compartilhadas entre si.

As pessoas também podem criar os seus próprios mapas mentais individuais. Ao final, eles podem ser unificados, gerando um único mapa que conta com a participação e envolvimento de toda a equipe.

2. Gamification

O uso de jogos (ou games) é um recurso bastante utilizado para desenvolver o raciocínio e estimular a criatividade, pois, eles mantêm a equipe alerta e interativa. O espírito de competitividade provocado pelo jogo estimula o pensamento criativo, aumenta a produtividade e promove um maior engajamento dos participantes.

No design thinking, a ferramenta de gamification pode ser explorada de forma a lançar desafios a serem superados pela equipe, despertando a criatividade e a busca por inovação. Assim, todos estarão unidos no mesmo objetivo de superar o desafio lançado e colaborarão com a geração de novas soluções.

3. Brainstorm

Chegamos à tão falada “tempestade de ideias”, técnica que consiste em estimular a geração de novas propostas e a busca por soluções inovadoras e criativas. Para implementar esse método em uma empresa, o gestor deve reunir um grupo bastante diverso, vindo de diferentes áreas profissionais, faixas etárias e níveis de experiência. Quanto mais distinto for o grupo, maior será a diversidade de pensamentos e, consequentemente, a variedade de propostas geradas por eles.

Um problema será proposto ao grupo, que deverá discuti-lo sem julgamentos ou interferências. Todas as ideias devem ser anotadas, mesmo as que não parecerem muito úteis em um primeiro momento. Nessa etapa, a quantidade de sugestões importa mais do que a qualidade delas.

Por fim, todas as ideias serão analisadas mais profundamente quanto à sua relevância e aplicação. A equipe deverá escolher, por critério de votação, as duas ou três melhores, que serão prototipadas e apresentadas ao cliente como possíveis soluções para o seu problema.

4. Visualização

Nossa mente funciona melhor com o uso de representações visuais. Por isso, a técnica da visualização é utilizada para dar formas às ideias e permitir um maior entendimento do que está no pensamento do outro.

Para esse fim são utilizados desenhos, gráficos, diagramas, ou qualquer esquema visual que ajude a enxergar fisicamente o problema. Esses elementos, quando representados no papel ou na tela do computador, auxiliam na identificação e conferem maior realidade ao projeto.

5. Prototipagem

Prototipagem é o nome dado à criação de protótipos. É o processo de passagem do abstrato para o físico, com o intuito de representar uma realidade simplificada do projeto desenvolvido, propiciar as validações necessárias e melhorar a tomada de decisão.

São desenvolvidos modelos de testes dos produtos que foram idealizados nas fases anteriores do projeto. Esse recurso é utilizado a fim de obter um feedback do cliente. Com ele, os gestores podem identificar falhas e dificuldades que não haviam sido percebidas anteriormente.

Percebemos com a leitura deste artigo que as ferramentas de design thinking são uma abordagem para solucionar problemas de uma maneira inovadora. Elas ajudam a analisar a situação pela perspectiva do cliente, provocando uma maior empatia e aumentando a probabilidade de gerar verdadeiro valor.

Acompanhe-nos nas redes sociais e saiba mais sobre a Beluga! Estamos presentes no Facebook e no LinkedIn!

Beluga
Autor

No blog Beluga você encontra o melhor conteúdo sobre data science, machine learning e inteligência artificial para alavancar sua empresa através dos seus dados.

Escreva um comentário