Novas tecnologias surgem a todo momento para aperfeiçoar a gestão no mundo corporativo e implementar a análise de dados de modo mais profundo. Agora, a novidade é o data lake, mais um passo rumo à transformação digital.

Pela tradução literal, essa tecnologia significa “lago de dados”. O termo faz todo o sentido quando você compreende o conceito, que vamos apresentar a seguir. Nesse momento, o importante é entender que essa é mais uma forma de lidar com grande quantidade de dados e obter informações estratégicas para o seu negócio.

O que acha dessa possibilidade? Se quer saber mais sobre o assunto, continue lendo este post!

Afinal, o que é data lake?

O data lake é um repositório centralizado no qual diferentes dados são armazenados. Eles podem ser brutos (derivados de fontes originais), ou estruturados (provenientes de bancos relacionais). Outras possibilidades são:

  • semiestruturados, a exemplo dos arquivos CSV e JSON;
  • não estruturados, como documentos, e-mails e PDFs;
  • binários, por exemplo, imagens, vídeos e arquivos de áudio.

A partir disso, é possível realizar diferentes tipos de análise, desde visualizações mais simples até o processamento de Big Data, verificação em tempo real e machine learning, a fim de direcionar as tomadas de decisão.

Essa é uma maneira de agregar valor ao negócio por meio da inteligência empresarial. Ao mesmo tempo, os dados passíveis de uso estratégico estão disponíveis a qualquer momento e são coletados por meio da mineração, ou seja, do data mining.

Data lake x data warehouse

Os dois conceitos podem gerar confusão, mas há diferença entre eles. Apesar de ambos terem como finalidade o armazenamento de dados, o data warehouse é voltado apenas para aqueles que já estão organizados e limpos. Portanto, estão disponíveis para utilização e análise, sem exigir outro tipo de estruturação.

Por sua vez, o data lake, como vimos, permite armazenar qualquer tipo de dado. Devido sua capacidade, essa tecnologia se torna mais interessante para as empresas, já que, hoje, o mercado exige respostas a perguntas que nem sempre foram planejadas. Em outras palavras, é necessário haver flexibilidade.

Essa afirmação é confirmada por um estudo da Aberdeen. Segundo a pesquisa, as empresas que utilizam esse novo formato de hospedagem tiveram um crescimento de 9% nas receitas organizacionais.

Como funciona?

A versão mais recente do data lake já é chamada de 3.0. Seu foco é resolver os problemas de negócios a partir de soluções tecnológicas. Por isso, oferece a possibilidade de implementar aplicações pré-empacotadas com pequenas personalizações.

Por exigir um grande poder de processamento, é necessário contar com alguns componentes-chave de suporte, como os contêineres e os microsserviços. Dessa forma, os data lakes favorecem a transformação embasada em dados.

Lembre-se de que é desnecessário realizar qualquer estruturação ou análise antes do armazenamento. No entanto, é recomendado executar uma triagem e guardar apenas o que tiver capacidade de gerar valor no futuro. Caso contrário, você terá um grande volume de dados — situação que vai dificultar qualquer avaliação futura.

Para chegar a esse patamar, é preciso passar pelos quatro estágios de desenvolvimento e integração dessa tecnologia às arquiteturas existentes hoje na sua empresa. Entenda mais sobre cada um deles!

Estágio 1

O ambiente criado é de baixo custo, escalável e voltado para a captação de dados. Isso acontece porque sua construção é feita de forma separada aos principais sistemas de TI. A vantagem é o armazenamento de informações de modo infinito antes de serem preparados. Os efeitos sentidos são mínimos e é desnecessário, apesar de recomendável, ter uma governança sólida.

Estágio 2

As empresas utilizam essa tecnologia como plataforma de experimentação. O acesso aos dados é rápido e fácil e há um foco maior na análise. No ambiente virtual — também chamado de sandbox — é possível trabalhar com eles ainda inalterados para gerar protótipos.

Powered by Rock Convert

Estágio 3

O data lake é integrado ao data warehouse para aumentar a flexibilidade do armazenamento. Os dados brutos e frios (que são inativos ou pouco usados) passam a servir para a geração de insights sem exceder as limitações da plataforma. As tarefas de transformação de baixa intensidade e extração são repassadas para a nova tecnologia.

Estágio 4

A maior parte das informações passam pelo novo modelo de armazenamento. O repositório centralizado se torna essencial para a infraestrutura e fortalece os dados como serviço. É possível até criar aplicativos com o uso intensivo deles.

Todos esses estágios podem ser adotados no e-commerce, que conta com um grande volume de informações pela própria natureza das operações. Porém, como essa tecnologia transforma o trabalho no comércio eletrônico? Existem algumas características a considerar.

Como o data lake impacta o e-commerce?

Essa arquitetura de dados fortalece o Business Intelligence (BI) e até o coloca em um novo patamar, já que é utilizada a nuvem automatizada, o que traz mais visibilidade às informações perdidas ou mal trabalhadas. Esse aspecto é bastante relevante para o e-commerce, no qual centenas de pessoas adquirem produtos e serviços.

Nesse contexto, as empresas têm a chance de extrair um grande número de insights valiosos. No entanto, isso nem sempre acontece. Com o data lake, a base de dados macro com a aplicação do machine learning oferecem os resultados que mais interessam, por exemplo, o gasto de cada frota.

Os benefícios, contudo, vão muito além. Confira os 6 principais a seguir!

1. Flexibilidade

Essa característica é uma das mais importantes dessa tecnologia, porque nela estão armazenados diferentes tipos de dados, inclusive brutos e não estruturados.

Desse modo, o e-commerce pode adicionar novos tópicos, conforme sua necessidade. Além disso, as informações são derivadas de várias fontes, o que traz uma visão mais ampla e estratégica para o negócio.

2. Individualização da experiência do cliente

A experiência personalizada é permitida pelos lagos ao possibilitarem a criação de tópicos, de acordo com a estratégia de negócio. Ao descobrir informações estratégicas, o e-commerce tem uma chance maior de criar campanhas direcionadas. Sem contar que pode agrupar consumidores de acordo com seus interesses para ter uma possibilidade maior de acerto conforme a segmentação realizada.

3. Implementação de novos modelos de negócios

A ideia é implementar uma lógica analítica de autoatendimento, que utiliza o data lake como meio de acesso. A partir dessa estrutura, há melhoria da experiência do cliente, já que testes podem ser efetivados sem gastos excessivos. Da mesma forma, existe maior possibilidade de agir de maneira estratégica, a fim de  beneficiar o negócio e alcançar melhores resultados.

4. Aumento da colaboração

A informação armazenada nos lagos é passível de compartilhamento para diferentes usuários, além de ter a chance de agrupamento de acordo com objetivos e temas. Para o e-commerce, isso representa a possibilidade de informar diferentes pessoas a respeito de um mesmo consumidor.

Por exemplo: um atendente conversa com o cliente, que sai do chat e volta a entrar em contato. Caso a conversa seja repassada para outro operador, ele tem acesso aos dados e continua o atendimento de onde parou, sem perdas para a experiência personalizada e agradável.

5. Redução de esforços

Os lagos armazenam uma grande quantidade de informação sem implicar problemas para buscar o que é necessário. Os dados são armazenados de maneira simples e a empresa deixa de empregar esforços para estruturar a informação. Com isso, há o aumento da vantagem competitiva para o negócio.

6. Precisão maior para os cenários futuros

A reunião de um número maior de dados e variáveis faz com que o subsídio às tomadas de decisão seja mais preciso. Essa característica leva o gestor a traçar uma previsão mais realista, inclusive com a identificação de oportunidades e tendências.

Fica claro, portanto, que o data lake é uma tendência que já vem sendo concretizada e consiste em vantagem competitiva para as empresas. Para potencializar os resultados e garantir uma implementação de sucesso, é preciso contar com uma empresa especializada em consultoria e produtos de inteligência artificial e análise de dados.

É isso que você busca? Aproveite as informações que recebeu neste post e entre em contato com a BelugaDB! Nossos consultores vão indicar o que é preciso fazer para seu negócio alcançar o sucesso!

Beluga
Autor

No blog Beluga você encontra o melhor conteúdo sobre data science, machine learning e inteligência artificial para alavancar sua empresa através dos seus dados.

Escreva um comentário