Sabemos que os colaboradores são o recurso mais valioso de uma empresa. Justamente por isso, é de fundamental importância mensurá-los a fim de compreendermos melhor o que os torna mais engajados, produtivos e felizes no ambiente de trabalho. E, para nos auxiliar nessa importante tarefa, contamos com o auxílio do People Analytics.

Essa poderosa metodologia representa hoje uma revolução na gestão de pessoas. Sua utilização já é uma realidade no ramo empresarial, sendo reconhecida como uma maneira de melhorar a efetividade das tomadas de decisão.

Há alguns anos, esse era um processo caro, basicamente manual, e dispendia muito tempo para que o gestor de RH tivesse acesso a todas as informações coletadas e armazenadas. Hoje, contamos com o apoio de softwares, que estão a cada dia mais acessíveis e precisos. Por meio deles, a informação desejada é gerada quase que instantaneamente.

Neste artigo, você descobrirá o que é People Analytics. Conhecerá os seus principais objetivos e também as maiores vantagens oferecidas por essa tendência em ciência de dados para a empresa e seus funcionários. Por fim, você aprenderá a implementá-lo em sua empresa. Continue acompanhando!

O que é People Analytics?

Ben Waber, CEO da Humanize, empresa especializada em análise comportamental e principal referência sobre o assunto, afirma:

Quando usamos dados para entender os comportamentos dentro do ambiente de trabalho que tornam as pessoas eficientes, felizes, criativas, especialistas, líderes, seguidores, enfim, estamos usando People Analytics.

Ou seja, tendo como base a tecnologia denominada Big Data, sua função é gerar informações que influenciem radicalmente a gestão de pessoas e gerem uma melhoria na produtividade da equipe.

Esse processo torna-se possível a partir da coleta, organização e análise de dados sobre o comportamento de cada colaborador ou candidato. O objetivo desse estudo é identificar tendências e compreender aspectos distintos de grupos ou indivíduos, a fim de realizar tomadas de decisão mais estratégicas.

Os problemas principais que as empresas desejam solucionar, de acordo com Josh Bersin (estrategista e pesquisador da Deloitte), são:

  • vendas com baixa produtividade;
  • pouco ou nenhum engajamento dos profissionais;
  • menor retenção de talentos;
  • fraude;
  • clientes insatisfeitos.

O uso dos algoritmos eleva as análises para outro nível com o uso do machine learning e da inteligência artificial. Agora, é possível identificar questões que, outrora, não eram tão facilmente perceptíveis. O RH é capaz de detectar, por exemplo, padrões de atritos profissionais, modelos que podem prever performance, e problemas de produtividade.

Com o Big Data em RH, é possível realizar o cruzamento dos dados com redes sociais e recolher informações sobre hábitos, comportamentos e padrões que as pessoas bem-sucedidas adotam. Essas informações só são coletadas por meio dos sistemas de inteligência artificial.

Com o uso correto da ferramenta, é possível realizar uma melhoria no clima da organização e criar ações para melhorar:

  • a gestão de pessoas;
  • o grau de satisfação dos funcionários;
  • a criatividade;
  • a inovação das equipes;
  • o aprimoramento de lideranças;
  • as estratégias de comunicação interna.

A finalidade de toda essa ação é identificar tendências e compreender aspectos de grupos ou indivíduos, de modo a tomar decisões consistentes e estratégicas visando sempre à melhoria da empresa.

Com isso, é possível definir estratégias mais eficazes para atacar pontos críticos e melhorar o desempenho em diversas frentes — um recurso cujas oportunidades de aplicação são imensas.

Quais os objetivos do uso do People Analytics?

De acordo com dados da 20ª Pesquisa Global com CEO´s, realizada pela PricewaterhouseCoopers (PwC) em 2016, mais de 50% dos CEO´s estão repensando a função de RH em suas organizações.

Eles julgam importante ter informações sobre o retorno do investimento em capital humano. Porém, segundo eles, não há informações suficientes para as tomadas de decisão relacionadas à alta rotatividade ou ao nível de produtividade dos colaboradores. Nesse sentido, Josh Bersin afirma que:

As empresas precisam desesperadamente de dados para descobrir o que faz as pessoas se unirem, o que faz as pessoas ficarem, quem é mais suscetível a ser mais bem-sucedido e o que podemos fazer para amadurecer nossa capacidade de liderança, o atendimento ao cliente e a inovação. E todas estas questões podem ser diretamente respondidas por um processo bem feito de People Analytics.

Ao investir em um sistema que utilize análises da ferramenta, haverá um aumento em sua eficiência operacional, maior engajamento e mais agilidade nos processos. Como resultado, o RH da empresa estará preparado para tomar decisões mais estratégicas. Confira abaixo mais alguns objetivos dentro de áreas específicas da empresa.

Recrutamento e seleção

Ao levar em consideração todos os dados analisados, o People Analytics auxilia na definição das características que correspondem ao perfil desejado para determinada função.

Então, os dados são cruzados com as informações dos potenciais candidatos. Com essa análise, é possível identificar qual entre os profissionais analisados melhor se encaixa no que foi definido pela empresa.

A ferramenta também indica quais candidatos teriam maior propensão a deixar a organização no futuro e aponta os principais fatores que poderiam causar essa desistência. Assim, a empresa pode evitar a contratação desse profissional ou agir para solucionar o motivo que o faria sair da organização.

Análise do clima organizacional

Entendemos por clima organizacional a percepção coletiva que os funcionários têm em relação à empresa em que trabalham. Avaliar o clima organizacional de uma empresa é buscar saber quais são os sentimentos, desejos e pensamentos dos colaboradores em relação à organização.

A pesquisa de clima organizacional é uma ferramenta muito poderosa, considerada uma forte aliada no processo de otimização do ambiente de trabalho, desenvolvimento dos colaboradores e engajamento da equipe.

Para que seja aproveitada ao máximo e de fato empreenda mudanças significativas e sustentáveis, a pesquisa precisa contar com análises e informações que atendam a todos os níveis da organização.

Decisão da remuneração dos colaboradores

O uso de People Analytics nos processos de remuneração analisa os recebimentos dos funcionários pertencentes às mesmas funções. O cruzamento dos dados indica se a remuneração de cada um deles está acima, abaixo ou equiparada com a dos demais.

Dessa forma, os indicadores de gestão de pessoas apontam aqueles funcionários para os quais é necessário oferecer um reajuste, para equipará-los ao restante da equipe. Também é possível oferecer aumento aos destaques da equipe, se for da política da empresa.

Treinamento e desenvolvimento

As ferramentas de análise processam e geram informações muito precisas sobre cada colaborador. Ao conhecermos as aptidões de cada pessoa, é possível realocá-la para a tarefa mais adequada ao seu perfil, ou desenvolver programas de treinamento e capacitação.

Com a posse das informações corretas, a empresa consegue fazer modelagens mais precisas para apoiar as iniciativas de treinamento e capacitação dos profissionais. Essa ação impacta positivamente a motivação e a retenção de talentos.

Dessa forma, o funcionário pode desenvolver novas aptidões, ser útil em outro setor da empresa onde sua presença seja mais necessária, e até mesmo estar apto a receber uma promoção.

Quais as vantagens para a empresa e seus funcionários?

O método de avaliar informações sobre os colaboradores em busca de melhorias traz diversas vantagens para a empresa. A mais relevante entre elas é, sem dúvidas, a retenção de talentos na empresa e a facilidade em garantir que o funcionário certo seja contratado.

Entre os funcionários já efetivos, o principal benefício a ser observado é que, com as medidas corretas, eles se tornam mais motivados, satisfeitos e têm melhores objetivos dentro do negócio.

Além do mais, há maiores possibilidade de que isso gere impactos positivos no seu desempenho, tanto pela alocação correta de talentos para projetos específicos quanto para identificar as condições que favoreçam a produtividade.

Esses dados aumentam a criatividade dos colaboradores, instigando-os para a obtenção de resultados mais satisfatórios e aumentando as chances de os negócios serem bem-sucedidos. Também são amplamente utilizados na elaboração de programas de treinamento, políticas de remuneração e de planos de carreira.

O People Analytics é ainda amplamente empregado na formação de equipes multidisciplinares, na distribuição adequada de tarefas e na delegação por mérito, entre outros benefícios.

Essa metodologia pode ser aplicada em diversos setores da empresa, oferecendo diferentes benefícios. Conheça alguns deles a seguir.

Melhoria contínua do colaborador

A análise de dados fornecida pelo People Analytics possibilita a melhoria contínua da equipe. Ela permite modificar a forma como os funcionários contribuem com o trabalho, objetivando aumentar o seu grau de satisfação, o comprometimento geral e o rendimento.

Por meio da consideração dos mecanismos de análise de informações, os gestores podem otimizar o crescimento das organizações em seus níveis estratégico, tático e operacional.

Outro ponto a ser considerado é a valorização do colaborador por meio de melhores salários e possibilidade de compensações. A oferta de treinamentos também obtém um impacto positivo sobre a equipe.

Aumento da produtividade

Muitas empresas utilizam o People Analytics para compreenderem como gerar maior produtividade no trabalho e tomar as medidas adequadas para obter esse resultado.

Uma das formas de aumentar a produtividade é proporcionar o aumento da satisfação dos colaboradores. Afinal, profissionais satisfeitos com o trabalho e com a empresa produzem muito mais e tendem a querer ajudar a empresa a crescer.

A aplicação do People Analytics na análise do desempenho dos funcionários mostra características que, normalmente, são ignoradas em uma avaliação mais superficial. Assim, é possível melhorar a produtividade com uma leitura adequada das percepções, dos pontos fortes e das áreas de melhoria dos funcionários.

Um dos principais fatores a ser levado em consideração para obter o aumento dos índices de rendimento identificados pela observação dos dados obtidos com a ferramenta é o relacionamento dos gestores com os funcionários. Gestores que conversam e dão feedbacks para os funcionários geram uma equipe mais produtiva.

Maior engajamento

O engajamento dos colaboradores é um fator crítico na maioria das organizações. Geralmente, a falta de engajamento resulta na perda de funcionários e queda do desempenho da equipe.

Um processo adequado de People Analytics pode ajudar as empresas a identificarem dados que demonstrem o que faz as pessoas se unirem e permanecerem no quadro de funcionários. Revela também quem é mais suscetível a ser bem-sucedido e como amadurecer a capacidade de liderança, o atendimento ao cliente e a inovação.

Essa prática tem o objetivo de ajudar organizações a tomarem as melhores decisões de forma rápida e estratégica. Da mesma forma, proporciona impactos positivos na rotina de trabalho dos colaboradores. Empresas como a Google, por exemplo, usam esse instrumento para aumentar continuamente o desempenho organizacional.

Redução de custos

Em um planejamento baseado nos dados de People Analytics, é possível reduzir os custos com funcionários. É possível trabalhar com um número mais enxuto de colaboradores, porém, esses serão profissionais mais capacitados, felizes e produtivos.

A metodologia auxilia a contratar e reter os talentos apropriados para cada função, com a menor chance possível de futuro abandono. Também direciona melhor a equipe e torna o treinamento mais produtivo, evitando o desperdício de recursos.

Torna o RH mais estratégico

O setor de Recursos Humanos das empresas precisa usar a tecnologia e o tempo a seu favor para resolver diariamente os possíveis problemas de comunicação interna e manter a equipe em ordem e produtiva.

O People Analytics auxilia a existência de um RH estratégico, pois a própria ferramenta determina a localização dos problemas, cabendo à equipe agir de forma apropriada para aplicar a solução adequada.

Com isso, a decisão deixa de ser baseada em hipóteses, o que provocava uma grande margem de erros. As decisões mais acertadas geram economia de tempo e dinheiro, além de propiciar a formação de uma equipe mais integrada e comprometida.

Maior controle da empresa por parte dos gestores

As informações geradas pela ferramenta possibilitam ao gestor ter um conhecimento avançado do que ocorre dentro da empresa. Ele pode identificar pontos fortes e fraquezas, assim como determinar quais são os funcionários que têm melhor ou pior desempenho em suas funções.

Com a correta análise desses dados, ele pode determinar os setores que precisam de melhoria e criar ações estratégicas mais eficazes. Pode também estimular os colaboradores ou até mesmo proporcionar bonificação para os que cumprirem as metas determinadas. O objetivo é usar o referencial corporativo para aprimorar a qualidade sem perder o que já foi conquistado junto aos colaboradores.

O monitoramento da equipe permite ainda a previsão de possíveis ameaças. O gestor pode então agir preventivamente, corrigindo o problema em questão antes que uma consequência ocorra. Essa ação gera uma economia por ter evitado um problema que poderia trazer prejuízos futuros, assim como proporciona vantagem competitiva.

Contratação dos melhores talentos do mercado

A ferramenta auxilia a contratação, pois ela já tem determinado o tipo de talento que a empresa mais necessita. O processo de seleção é automatizado, sendo usado para isso um poderoso algoritmo. Esses algoritmos cruzam os dados das necessidades da empresa com os dos perfis dos candidatos. Logo após, é identificado o histórico de contratação, o perfil dos candidatos, e também dos atuais funcionários, objetivos da empresa e as competências dos aspirantes às vagas.

O profissional ideal é selecionado de acordo com as especificações e necessidades da vaga oferecida. Dessa forma, não apenas o novo talento é descoberto, como também é possível identificar funcionários cujas competências os capacitem para uma possível promoção.

Como consequência a empresa observa uma considerável redução da rotatividade de pessoal. Também é nítida uma redução do custo de manutenção das equipes, agora mais engajadas e produtivas.

Como implementar o People Analytics?

A fim de elevar o grau de maturidade na utilização do People Analytics, é fundamental que os gestores se desenvolvam com habilidades para coleta de dados, tratamento e análise, e também utilizem ferramentas tecnológicas adequadas para esse fim.

Definir objetivos

É necessário contar com um software que compile toda a informação de maneira organizada, separando o que é importante do que não é. Para isso, o setor de RH deve fazer um levantamento sobre quais são os principais problemas que estão sendo enfrentados pela empresa.

Os dados necessários serão salvos em um banco de dados, enquanto os que não são considerados para análise imediata podem ser descartados, ou mesmo salvos para possíveis futuras análises. Com o arquivo em nuvem, a maioria das empresas opta por guardar esses dados.

Coletar os dados

Para a coleta dos dados, é utilizado um software que seja focado em People Analytics. Ele realizará a coleta a partir de múltiplas fontes, que podem ser redes sociais, e-mail, aplicativos de mensagens, sistemas de gerenciamento de projetos, relatórios de marketing e vendas, histórico de navegação, ou, ainda, de pesquisas internas.

Os dados coletados serão utilizados na identificação do foco de problemas, possíveis pontos de melhorias, tendências de comportamento, causas de baixa produtividade ou desmotivação do trabalho, desempenho real de cada colaborador, baixa retenção de talentos e falta de engajamento.

Estabelecer os indicadores

Após coletar os dados, o gestor terá em mãos um conteúdo bruto. Essa informação é difícil de ser analisada e pode levar a conclusões erradas. Para evitar esse problema, é necessário ter bem definidas as métricas e indicadores para análise desses dados.

Para começar de forma estruturada, deve-se fazer um mapeamento de toda informação que for coletada: sua origem, periodicidade, granularidade, entre outros aspectos que forem relevantes à análise. O objetivo é contextualizá-los e relativizá-los para que se consiga analisar todos os valores sob a mesma dimensão.

Envolver as pessoas no processo

People Analytics é uma ferramenta que depende de esforço coletivo para o seu sucesso. Ao implementá-la em uma empresa, certifique-se de que equipes de todas as áreas estão envolvidas. O recurso permite mapear comportamentos e condições que auxiliem positivamente seus colaboradores. Assim, é possível unir a equipe, mantê-la motivada e engajada em suas funções.

Ao envolver os colaboradores diretamente em uma iniciativa, a chance de sucesso aumenta consideravelmente. É fundamental que cada um deles se sinta como parte da implantação. Desse modo, o processo tende a ser mais bem-sucedido do que quando as decisões são impostas.

Observe que, normalmente, quem cria e implanta as ferramentas não é quem as utiliza no dia a dia. Então, a integração entre todas as partes interessadas deve ser promovida, de forma a estimular a troca de conhecimentos e a efetividade das ações.

Analisar os dados

Esse é o momento de utilizar os dados que foram previamente coletados. A partir de sua análise, as informações serão cruzadas diante das possíveis variáveis estipuladas pelos indicadores. Os resultados apresentados permitirão ao gestor traçar estratégias de melhoria nas áreas em que for necessária sua intervenção.

Um sistema de RH que utiliza análises de People Analytics proporcionará um considerável aumento em sua eficiência operacional, maior engajamento dos líderes, maior agilidade nos processos e ainda tornará a gestão mais estratégica.

Como será a evolução do People Analytics?

O People Analytics não pode se tornar apenas um modismo. Há uma real necessidade de que ele seja incorporado à tomada de decisão nas empresas. Tendo isso em vista, ele auxiliará a conhecer o cotidiano do profissional e entender como ele enxerga o seu trabalho.

A partir dessa informação, é possível discutir métodos e processos, e traçar caminhos mais objetivos. Afinal, essa é a função do People Analytics. Se for seguido de outra forma, ele se tornará somente métricas quantitativas.

O conhecimento gerado pelo seu uso no dia a dia das empresas criará novas formas de organizar as pessoas e aprimorar o seu modo de trabalhar. Um novo direcionamento para o People Analytics tem deixado de lado a antiga equipe de RH, que era mais focada em análises avançadas e em seu lugar, gerado uma nova equipe direcionada aos resultados do negócio.

Há também uma mudança de foco, em que não nos concentramos mais somente em tópicos como retenção, engajamento, aprendizado e métricas de recrutamento. Agora, o que importa são problemas comerciais, tais como produtividade de vendas, efetividade da força de trabalho, retenção de alto potencial, padrões de acidentes e outras necessidades.

A grande promessa para o People Analytics está em dar mais apoio nas tomadas de decisão baseadas em evidências de pessoas, a criar insights mais profundos e variados, aumentar a imparcialidade, a transparência e a objetividade no processo.

As pessoas são o bem mais valioso de uma empresa e a sua eficiente gestão impacta diretamente os resultados do negócio. Esse é o objetivo do People Analytics: conhecê-las a fundo, atuar em conjunto, desenvolvê-las e engajá-las. Todo esse esforço coletivo reflete em maior visibilidade para a marca.

Deseja receber nossos conteúdos diretamente em seu e-mail? Então, assine já a nossa newsletter!

Beluga
Autor

No blog Beluga você encontra o melhor conteúdo sobre data science, machine learning e inteligência artificial para alavancar sua empresa através dos seus dados.

Escreva um comentário